11.7.18

Quem dança seus males espanta!

Fotografia com pouca qualidade porque por uma questão de privacidade cortei as minhas colegas 

Partilhei uma fotografia no meu Instagram (podem ver em baixo e desculpem a péssima qualidade) e recebi tantas mensagens boas e com perguntas tão pertinentes que decidi partilhar aqui no blogue também. 
Há 6 meses, enchi-me de coragem, tirei do armário os meus sapatos de Sevilhana guardados há 20 anos e voltei a dançar.
Procurei uma Escola que me ajudasse a relembrar passos, a readquirir equilíbrio e coordenação e acima de tudo uma escola com boa onda, com pessoas com que me identificasse à partida e uma Professora que soubesse verdadeiramente o que está a ensinar.
Para quem perguntou, encontrei a Escola de Dança Raquel Oliveira e senti-me em "casa" logo na primeira aula.
Dançar Sevilhanas (como qualquer coisa a que nos propunhamos) é muito dificil. Requer treino, dedicação, motivação e empenho.
Decidi que era altura de voltar a desafiar-me e avancei.
Foram 6 meses de superação. Cada aula melhor. Cada aula mais um passo. Cada aula mais uma vitória. Todas as aulas com disciplina e muitas gargalhadas!
No passado Domingo foi a Festa de Final de Ano da Escola de Dança Raquel Oliveira e foi mágico.
24 anos passados desde a primeira vez, voltei a dar vida aos meus sapatos numa actuação cheia de emoção e simbolismo.
Superei-me. Desafiei-me. Voltei às “Lides”.
Em Setembro regressarei e tentarei concilar Sevilhanas e Flamenco. Mais um desafio!!
Dúvidas houvesse... 20 anos depois, ainda sei dançar! OLÉ!

PS. - Respondendo à pergunta: 
- "calças o mesmo número desde os 14 anos?"
- Não! Na verdade calço o mesmo número (35) desde os 12 anos!!! (ehehehee)

Para saber mais sobre a Escola de Dança Raquel Oliveira, cliquem aqui!

Quem se quer juntar a nós a partir de Setembro?
Um beijo no
M.


A fotografia possível (via telemóvel) pela mão do meu querido pai | @João Mexia


2.7.18

Momentos que dão presentes a quem nos lê!

Conheci a Sandra Caracol e a sua Feelings 4 Ever por acaso e num acaso feliz, criámos as condições necessárias para um momento espectacular em família.
A Sandra tem o dom de nos deixar à vontade, de fazer da fotografia um "clique" de amor, um momento guardado na eternidade, momentos fraternos de cumplicidade captada de forma tão natural, que quase nem demos pela sua presença!
A Sandra conseguiu captar a nossa essência com a sua lente mágica e é isso que distingue um fotógrafo de um bom fotógrafo!
Não acreditam? Vejam estas fotografias!





Para quem já se deliciou com estas fotografias lindas e quer ter um desconto de 20% numa sessão fotográfica com a querida Sandra, basta:
  •  Fazer like na página de facebook da F4E aqui
  •  Gostar do Memórias da M aqui e se tiverem instagram seguir aqui!
  •   Enviar uma mensagem à Sandra com o código MdM (válido até 31 de Agosto) e marcar o dia mágico!
Simples não é?!
Bons cliques!
Um beijo
M.



27.6.18

Mais um ciclo que se fecha...

Fotografia | 1º dia Jardim-Escola 







Fotografia | último Ano - 2017 - 2018

Em Setembro de 2017, escrevi aqui que este seria um ano difícil e emocional por ser o último ano do João nesta Escola.
9 anos de histórias. 9 anos de bibes de cor diferente. 9 Educadores / Professores diferentes.
Hoje é dia de festa de final de Ano Lectivo e dia de emoções (não precisam ser emoções fortes que eu sou uma chorona incurável).

Sou a mãe que chora na ginástica, que se arrepia na aula de música, a mãe a quem as lágrimas saltam sem pedir licença, a mãe que alinha em tudo na escola, a mãe que faz o pino se isso lhes arrancar um sorriso, aquela mãe que tem sempre um piscar de olho pronto em jeito de motivação por terem falado bem na aula de inglês, acertado as contas de matemática ou lido bem o texto na aula de Português.

Lembro-me, no dia em que o João entrou nesta escola, de pensar no dia de hoje.
 O fim de um ciclo no Jardim - Escola que o acolheu, que viveu com ele as “dores” de crescimento, que lhe deu bases para o desenvolvimento, que o ajudou a tornar-se o rapaz que hoje é...
Emociono-me sempre nos finais de ano. Mais um ciclo que se fecha. Mais um bibe que conta histórias.

O João teve educadoras e professores extraordinários que gostam do que fazem, que tem o dom de ensinar e que batalham todos os dias para que os meus (nossos) filhos sejam, no futuro, adultos com valores firmes, com bases sólidas fortalecidas por laços de amor e amizade.

O João foi muito feliz na escola. Brincou. Aprendeu. Encontrou os melhores amigos. Cresceu!
A todas as educadoras e professora(e)s agradeço terem ajudado o meu filho a crescer (algumas andam por aqui!), no entanto, hoje, particularizo o agradecimento ao Professor A. (também por cá anda e não está, certamente, à espera disto !), o Professor do emocionante 4º ano!
Há 30 anos eu tive um professor na Escola Primária. 
Um professor que era, de longe, uns dos melhores da sua geração. 
Alternativo, diferente na abordagem, consciente das diferenças, ágil no trato, nem sempre convencional, mas profundamente apaixonado pela arte de ensinar.
O professor A. lembra -me muito o meu Professor de há 30 anos.
Estou certa que a admiração e estima que o João tem pelo seu professor do 4º Ano, levará com ele pela vida fora.
Nele ficará sempre um bocadinho do professor A., tal como ainda hoje tenho em mim um bocadinho do meu Professor Rodrigues.

Hoje o meu beijo vai, em jeito de agradecimento, para todos os professores que amam a profissão, que todos os dias dão o melhor de si pelo desenvolvimento e pelo crescimento dos nossos filhos.

Obrigada a todos pelo empenho e dedicação, nem sempre devidamente reconhecidos.
Um beijo no
M. 

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © As Memórias da M