17.7.17

Uma mãe à beira de um ataque de nervos...

Fotografia | Isabel Saldanha Fotografia
O Anjo que, pela manhã, se transforma em Diabo :)

Ando completamente saturada das birras matinais do meu filho Duarte, agora com 4 anos.
Compreendo que eles já estão cansados, que precisam de férias, que passam praticamente 11 meses na escola das 8h30 às 19h00... mas bolas... isto é demais.
Faz birras medonhas de manhã (daquelas que deixam qualquer pessoa com os nervos à flor da pele). Esperneia, deita-se no chão, grita e chora descontroladamente.
O João ajuda-me. Tentamos de tudo para o demover. 
Baixo-me ao nível dele, falo pausadamente, explico que temos que ir, que estamos atrasados, que a mãe vai trabalhar, blá blá blá e nada... quando está virado do avesso, não há nada que o convença a sair de casa, ou do prédio ou a entrar para o carro.
É desesperante!
A semana passada houve um dia em que a birra foi terrível! Dei-lhe uma palmada no rabo (venham daí essas críticas, vá!) e pu-lo, literalmente, debaixo do braço até ao carro.
A palmada no rabo funcionou, mas nem sempre funciona e isto tem efeito bola de neve... quanto mais insisto mais ele persiste. Consegue ir até à escola aos berros e a espernear sem saber bem porquê. À porta da escola, transforma-se. Fica tudo bem.
Estes episódios coincidem quase sempre com dias em que dorme menos bem ou que dorme menos do que precisa (que é pouco, atendendo ao facto de acordar uma média de 5/6 vezes por noite) contudo, quando estamos todos a precisar de férias e estes episódios acontecem com maior frequência, fico o dia todo inquieta a pensar o que estarei eu a fazer de mal.
Recordo que nesta fase (3/4 anos) o João também tinha estes “ataques”, mas nunca foi com o exagero que são as birras do Duarte.
Há por aí alguém a passar pelo mesmo?
Estratégias e/ou conselhos?
Boas férias!!
Um beijo

M.

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © As Memórias da M